Os efeitos da intervenção de Mindfullness nas funções executivas


Mindfullness é definido como um modelo de dois componentes. 1) Autorregulação da atenção na experiência imediata e 2) orientação particular caracterizada pela curiosidade, abertura e aceitação direcionada a experiências do momento presente. Seus benefícios são conhecidos a partir da prática consistente da técnica, como fortalecimento da habilidade de direcionar e manter atenção. Hipotetiza-se que ative as redes de atenção no córtex pré-frontal e ajude a focar em situações mais desafiadoras.

Os efeitos do Mindfullness podem estar direta ou indiretamente relacionados ao aumento das capacidades das Funções Executivas. As Funções Executivas ou FEs englobam múltiplas habilidades mentais como memória de trabalho, controle inibitório, processamento cognitivo, flexibilidade cognitiva e fluência verbal. Ou seja, nos permitem agir com propósito, direcionar atenção a uma tarefa específica, planejar as situações, controlar impulsos e a ter flexibilidade de pensamento.

Estudos em adultos ajudam a consolidar achados sobre os benefícios do Mindfullness na memória de trabalho, flexibilidade cognitiva e consciência. No entanto, revisões de resultados neuropsicológicos não acharam suporte significativo dos efeitos do Mindfullness na atenção e também no aumento da capacidade das funções executivas. Portanto, são necessários mais estudos para confirmar os achados dos efeitos da intervenção baseada em Mindfullness, principalmente em adolescentes, pois é um período em que essas intervenções são relevantes devido ao desenvolvimento pré-frontal acelerado na adolescência.

Baseado em achados anteriores, a hipótese do estudo era de que intervenções baseadas em Mindfullness podem trazer efeitos positivos nas FEs baseado em medidas neurocognitivas. Para isso, o estudo foi feito em duas cidades da Finlândia onde foram escolhidas duas escolas em bairros socioeconomicamente parecidos que foram separadas em 4 grupos diferentes, um grupo de intervenção e um grupo de controle em ambas as cidades. Em uma das cidades os alunos eram do oitavo ano e na outra do sexto ano.

Em dois grupos foram feitas as intervenções baseadas em Mindfullness e nos outros dois foram feitas técnicas de relaxamento e em ambos os casos as sessões eram grupais e semanais, com duração de 45 minutos cada, seguidas de práticas diárias feitas de forma independente em casa de até 15 minutos de duração. As práticas na escola foram conduzidas por estudantes de psicologia treinados para a intervenção.

Todos os alunos e alunas do estudo responderam a diferentes testes neuropsicológicos com o objetivo de avaliar memória de trabalho, controle inibitório, processamento cognitivo, flexibilidade cognitiva e fluência verbal pré intervenção. Após as 9 semanas de sessões grupais os alunos foram submetidos ao mesmo testes feitos pré intervenção. Os mesmos procedimentos foram seguidos após 6 meses de intervenção depois de estimular os alunos a fazerem práticas independentes depois das primeiras 9 semanas.


Resultados


Os achados do estudo mostraram que tanto a intervenção baseada em Mindfullness quanto as técnicas de relaxamento apresentaram impacto similar nas funções executivas. Encontrou-se melhorias significativas na flexibilidade cognitiva, processamento cognitivo, controle inibitório e fluência verbal em ambos os casos. Também houve melhoria considerável devido aos efeitos de maturação após os 6 meses da prática, todavia, ainda assim, houve aumento perceptível nos escores dos participantes.

Há 3 mecanismos possíveis que podem explicar os impactos semelhantes entre o grupo controle e o grupo de intervenção. 1) Estudos mostram que silêncio automotivado como meditação, pausas silenciosas e lugares quietos beneficiam performance cognitiva. E neste estudo foram incluídos momentos de silêncio entre os participantes. 2) Tanto Mindfullness quanto técnicas de relaxamento estão relacionadas a melhor uso de habilidades cognitivas. 3) Ambientes com interação social positiva, trabalhos em grupo, discussões, e práticas em grupo também estão relacionados a um ambiente melhor com redução de estresse e melhor desempenho.

A única variável do estudo que não apresentou melhora foi a memória de trabalho, resultado que contraria estudos anteriores. Contudo, o tempo de prática das técnicas pode não ter sido suficiente para gerar um resultado concreto dos benefícios que elas podem trazer. Estudos feitos com adultos também indicam que, para apresentar melhora significativa da memória trabalho, talvez seja necessário maior tempo de prática consistente.

Os resultados do estudo apresentam achados semelhantes em ambos os grupos, entretanto, após 6 meses de prática independente dos participantes houve melhorias no grupo de intervenção nas habilidades de controle inibitório, processamento cognitivo e memória trabalho enquanto no grupo controle não houve melhorias. É importante ressaltar que o nível de prática independente dos participantes foi bastante baixo, e isso possivelmente impactou os resultados do estudo.

Conclusão

A conclusão do estudo indica que ambas as técnicas podem ser úteis para aprimorar as funções executivas, especialmente porque essas funções são resistentes a mudança significativa, mas os achados apontam que pode haver aprimoramento destas habilidades através da prática consistente das técnicas. Entretanto, os dados encontrados não são suficientes para traçar uma resposta concreta. Uma sugestão para os próximos estudos relacionados ao tema seria organizar 3 grupos (grupo de intervenção, grupo controle e grupo controle inativo) para obter resultados mais concretos acerca dos efeitos do Mindfullness e das técnicas de relaxamento.


Lassander, M., Hintsanen, M., Suominen, S., Mullola, S., Fagerlund, A., Vahlberg, T. & Volanen, S. (2020). The effects of school-based Mindfulness intervention on executive functioning in a cluster randomized controlled trial. Developmental Neuropsychology, 45(7-8), 469-484. https://doi.org/10.1080/87565641.2020.1856109














R. Piauí, 345, Sala 903 - Santa Efigênia, Belo Horizonte 

Prof. André Júlio: (31) 99784-1689

Dra. Andressa Antunes: (31) 98427-3487

Dra. Annelise Júlio-Costa: (31) 99232-0718

Dra. Nathália Falconi Cheib: (31)  98797-0599

 

Copyright 2021 Neuropsicoterapia| Todos os direitos reservados